Principal
Main
Novidades
News
Quem somos
About Us
Objetivos
Informações
Equipe de Adestramento
IPO Team
DOBERMANN
Plantel
Our Dogs
Filhotes
Puppies
Ninhadas
Litters
Nossa Criação
Our Breeding
Galeria
Gallery
MALINOIS
Plantel
Our Dogs
Filhotes
Puppies
Ninhadas
Litters
Nossa Criação
Our Breeding
Galeria
Gallery
Fotos
Pictures
In memoriam
Links
Contato
Contact Us
 
 

 

. : PERGUNTAS FREQUENTES : .

F.A.Q.

Veja abaixo 10 perguntas que recebemos com freqüência e nossas respectivas respostas.
Se sua dúvida não estiver aqui, mande-nos um e-mail!

1 - É verdade que o crânio do Dobermann é pequeno demais para o cérebro dele e com o tempo, ficando com o cérebro comprimido, ele tem terríveis dores de cabeça e fica louco, mordendo até o próprio dono?

ISSO É UMA GRANDE MENTIRA!
A anomalia que faz com que um cérebro não caiba em seu respectivo crânio é algo raríssimo e que pode acometer inclusive humanos. A pessoa ou animal que sofrer disso permanece em coma enquanto agüentar vivo.

2 - Qual é menos agressivo, macho ou fêmea? E qual é melhor na guarda?

No caso de exemplares de boa procedência e de temperamento equilibrado, nenhum deles será gratuitamente agressivo.
O instinto de proteção é o responsável pela guarda tão eficiente e que fez a raça Dobermann ficar famosa. Esse instinto protetor é potencializado quando existe um grande vínculo afetivo com a família, se expressando independentemente do sexo do cão.
No entanto, essa aptidão inata para guarda poderá apresentar grandes variações dependendo da linha de sangue do exemplar (tanto nos Dobermanns quanto nos Pastores Alemães), já que existem criações despreocupadas com temperamento, que já perderam essa característica.

3 - O Dobermann convive bem com crianças?

O Dobermann pode se tornar o melhor amigo de uma criança, mas é importante que desde filhote seja acostumado a conviver com crianças e que não seja maltratado por elas, pois pode ficar traumatizado. Se acostumado desde filhote, ele se torna muito apegado às crianças, além de super protetor delas.

4 - Por que o PEDIGREE custa tão caro?

Um registro (pedigree), solicitado pelo criador através de qualquer Kennel Clube filiado ao sistema CBKC custa somente R$ 42,00! O Pedigree propriamente dito NÃO custa caro.

5 - Mas então, por que um filhote com pedigree custa "caro"?

Quando você compra um filhote de um bom criador, na realidade você estará pagando por um animal de procedência conhecida e selecionada. Você não paga simplesmente pelo pedigree (o papel), como muitas pessoas acreditam.

O Pedigree (registro) é uma mera conseqüência da aquisição de cães de raça pura e boa procedência, ele é apenas a identidade do animal. O bom criador, além de oferecer ótimo tratamento aos seus cães, investe para produzir o que há de melhor, realiza exames (saúde) e testes (temperamento) em todo plantel, selecionando assim cães com boa saúde, bom temperamento e boa estrutura para reprodução - isso, além de trabalhoso, custa caro. Por esse motivo desconfie de filhotes "com pedigree" a preços baixos.
O filhote precisa ter um bom pedigree (isso significa uma "boa linhagem"), assim ele virá de pais e avós realmente puros e com controle genético contra doenças e distúrbios de comportamento. Lembre-se que este animal viverá com você de 10 anos pra mais, e sendo ele bom ou ruim, o gasto com ração, vacinas e manutenção em geral será o mesmo.
Não adianta adquirir um filhote só porque ele possui pedigree: é por esse equivocado raciocínio que existem pseudo-criadores falsificando registros só para vender mais caro um filhote que, às vezes, nem é puro! Cuidado!!!

É imprescindível procurar por criadores responsáveis: esses não medem esforços para criar da melhor forma possível, mostram os seus cães (mantidos em ótimo estado geral), fazem controle de saúde rigoroso (testam seus reprodutores para doenças que acometem a raça), oferecem contrato com garantias (especialmente em relação à saúde) e alguns poucos inclusive testam o temperamento dos cães usados na reprodução.

CLIQUE AQUI e conheça a "cara" que deve ter um pedigree oficialmente reconhecido. Somente filhotes de pai e mãe com pedigree poderão ser registrados, isto é, possuir pedigree.
É importante saber reconhecer o pedigree emitido pela Confederação Brasileira de Cinofilia (CBKC). No caso dos Pastores Alemães, o registro também é CBKC porém é o próprio clube da raça (CBPA) que emite o pedigree - o documento é semelhante ao emitido pelo clube alemão.

6 - Qual a idade certa para cortar as orelhas do Dobermann? Quanto tempo demora para que fiquem em pé?

O corte de orelhas é recomendado dos 2 aos 3 meses de preferência. Pode-se cortar as orelhas até os 4 meses, mas o sucesso do corte fica comprometido (isto é, há mais chances das orelhas não levantarem).
O tempo que demora para que as orelhas fiquem firmes e eretas depende muito de cão para cão. Pode demorar até mais de 4 meses de curativos para que firmem. É importante não deixar que as orelhas caiam, por isso, na troca de curativos, assim que cambalear uma orelha já se deve colocar novamente o curativo. É normal que quando se tire o curativo as orelhas pareçam firmes, mas elas só estarão realmente prontas quando permanecerem por mais de 5 dias firmes e eretas. Quando as orelhas ainda não estão firmes, geralmente caem em 1 a 3 dias se ficam sem curativo. O melhor é que seja feita sempre a troca de curativos, colocando um curativo novo imediatamente após tirar o anterior, mas como às vezes é viável que as orelhas tomem um ar, não deixe que caiam!! Quando cambalearem, deve ser colocado imediatamente um novo curativo.

7 - Quais as vacinas que o filhote deve tomar e com que idade? Quando posso sair com ele na rua?

O filhote deve receber 3 doses da vacina múltipla, que são aplicadas dos 50 dias de vida até os 4 meses em média, com intervalos regulares entre uma dose e outra.
O ideal, conforme estudos recentes, é a primeira vacinação aos 2 meses de vida e as outras duas doses com intervalos de 30 dias entre elas, considerando filhotes saudáveis, de mães vacinadas e igualmente saudáveis.
A partir de 3 meses de idade pode ser aplicada a vacina contra Raiva (antirrábica), mas recomendamos que seja aplicada preferencialmente após os 5 meses de idade do filhote e com intervalo de 30 dias de outras vacinas.
As 2 vacinas (antirrábica e múltipla) devem ser reaplicadas após 1 ano e, posteriormente, conforme orientação veterinária.
Após a vacinação inicial do filhote, é recomendado que só se saia na rua com ele 10 dias após a última dose de vacinas. É extremamente importante que sejam aplicadas sempre vacinas importadas, que são adquiridas exclusivamente por médicos veterinários.

SUGESTÃO DE PROTOCOLO DE VACINAÇÃO INICIAL:

IDADE DO FILHOTE

VACINA

8 semanas

1ª dose da vacina múltipla (V2, V6 ou V8)

12 semanas

2ª dose da vacina múltipla (V6 ou V8)

16 semanas

3ª dose da vacina múltipla (V6 ou V8)

20 semanas

Vacina anti-rábica (contra raiva)

A partir dos 4 meses de idade, seu filhote pode começar a receber as três doses da vacina que protege contra a Leishmaniose Visceral Canina, que deve ser aplicada em intervalos de 21 dias. Converse com o médico veterinário de sua confiança e se informe.
Em locais onde há alto índice de leptospirose (rios e bueiros muito próximos, assim como casos de enchentes), é recomendável a aplicação da vacina específica contra leptospirose a cada 6 meses já que a proteção da vacina contra o agente causador da doença tem essa duração.
Existem também as vacinas contra "tosse dos canis" e giardíase. São aplicadas inicialmente 1 ou 2 doses (variando de acordo com a marca) e posteriormente recomenda-se o reforço anual. Por experiência própria, no caso da vacina contra "tosse dos canis", recomendamos somente as de aplicação intranasal (é dada pelo nariz, sem agulha). Não vimos resultados satisfatórios com a vacina injetável contra "tosse dos canis" e com a vacina contra giardíase, portanto sua eficácia é duvidosa e não recomendamos o seu uso. São doenças de fácil tratamento e com bom prognóstico, tornando as vacinas dispensáveis.
Não se deixe enganar por médicos veterinários que insistem em dar mais doses de vacinas do que o necessário, pois infelizmente essa é uma atual realidade do mercado pet visando lucro. Profissional que se mantém atualizado e possui conhecimento mínimo em imunologia, sabe que vacinação excessiva pode ser MUITO prejudicial para a saúde do seu cão, principalmente a longo prazo!

Não existe protocolo vacinal certo ou errado, cabe ao médico veterinário responsável elaborar um protocolo específico e mais adequado, de acordo com a região onde seu cão vive (atenção para doenças endêmicas), estilo de vida, idade, etc. Todo cão deve ser vacinado sim, mas evite vacinas desnecessárias e supervacinação.

8 - Meu cão está com pulgas/carrapatos e não consigo acabar com eles, apesar de manter o local onde ele vive sempre limpo. O que devo fazer?

Há vários produtos no mercado que acabam com estes parasitas e a melhor maneira de acabar com eles é usando produtos específicos para cães e que sejam comprovadamente seguros. Em casas especializadas é possível encontrar variados tipos de produtos de diferentes marcas. Qualquer produto possui um tempo limitado de eficácia, por isso deve ser sempre feita a reaplicação de acordo com a recomendação do fabricante. Peça orientação a um Médico Veterinário.

9 - Meu cão está com falhas na pelagem, o que pode ser?

Problemas de pele e pelagem podem ter inúmeras causas e tratamentos. Procure um Médico Veterinário.

10 - Qual a melhor ração para meu cão e qual a quantidade adequada?

Quem decide qual tipo de alimentação dar e, no caso de ração, qual a marca, é o dono. Às vezes um cão não se dá muito bem com uma certa ração (fezes pastosas por exemplo), então tente mudar, afinal cada animal tem um metabolismo próprio e uma ração ótima para um cão, nem sempre vai ser tão boa para outro. Mais abaixo colocamos nossa recomendação referente a quantas refeições um cão deve receber por dia, de acordo com a idade. A quantidade de alimento que deve ser fornecido depende de vários fatores, como o tipo de alimento fornecido e a idade e grau de atividade do animal. No caso de ração, veja na embalagem qual a recomendação do fabricante e divida a quantidade diária recomendada entre as refeições, para não sobrecarregar o estômago do seu animal. Se perceber que seu cão está ficando obeso ou magro, diminua ou aumente a quantidade de acordo com a necessidade. Prefira sempre rações de uma única cor, pois as coloridas possuem corantes e isso só serve para atrair o consumidor humano!

Existem diferentes tipos de ração:
Super Premium: São as rações TOP, as melhores, mas em compensação as mais caras também. Possuem todos os nutrientes de que o animal necessita, são digeridas com facilidade pela qualidade das matérias-primas, o cão consome uma quantidade menor do que as rações mais baratas e as fezes também diminuem. Geralmente trazem mais vitaminas para a pelagem e são melhores para a fase de crescimento, entre outras características.
Premium: São de ótima qualidade, caras mas mais baratas que as Super Premium, trazem um pouco menos de benefícios, mas mantêm muito bem o animal.
Tradicionais: Têm um preço médio e são muito consumidas. Com elas geralmente os veterinários receitam suplementos nas fases críticas (crescimento, etc.).
Econômicas: Têm um preço baixo a médio e qualidade inferior, comumente são "farinhentas" e com aparência ressecada. Geralmente precisam de um complemento alimentar, as fezes são em maior quantidade e o consumo é maior.
Combate: São aquelas muito mais baratas que as citadas acima, de qualidade muito inferior e que não suprem bem as necessidades de um animal, só "enchem a barriga". O consumo e o volume das fezes é bem maior.

TABELA DE ALIMENTAÇÃO

Até os 4 meses: 3 a 4 refeições por dia
Após 4 meses: 2 a 3 refeições por dia

NUNCA DÊ APENAS 1 REFEIÇÃO DE RAÇÃO POR DIA.


Este site foi criado e é atualizado por: / This website was created and is updated by: Kathleen Schwab
O uso de qualquer material contido neste site deve ser requerido e usado apenas se autorizado.
Canil Phanomen ©1997-2017 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS / ALL RIGHTS RESERVED