Principal
Main
Novidades
News
Quem somos
About Us
Objetivos
Informações
Equipe de Adestramento
IPO Team
DOBERMANN
Plantel
Our Dogs
Filhotes
Puppies
Ninhadas
Litters
Nossa Criação
Our Breeding
Galeria
Gallery
MALINOIS
Plantel
Our Dogs
Filhotes
Puppies
Ninhadas
Litters
Nossa Criação
Our Breeding
Galeria
Gallery
Fotos
Pictures
In memoriam
Links
Contato
Contact Us
 
 

 

. : INFORMAÇÕES : .

TEMPERAMENTO NA RAÇA DOBERMANN

O Dobermann como ele deve ser:
um cão protetor, equilibrado e confiável!

Na criação podemos e devemos ser muito mais criteriosos com o temperamento do que uma exposição nos permite. Muito cão é condicionado a exposições e ali pode ter muitas características mascaradas, até porque se exige muito pouco do cão (trotar, ser tocado por um breve instante e ficar imóvel em posição de 'stay'). É por isso que acho tão importantes as provas de seleção, ou ainda de Schutzhund (um pouco mais exigentes), pois permitem que o cão, em ação, mostre todos os seus instintos e impulsos, podendo assim ser melhor avaliado.
Não é por acaso que se encontra maior homogeneidade e qualidade no temperamento dos cães criados em países em que é obrigatória a prova de seleção para a reprodução, mesmo em linhagens selecionadas pela conformação física.
 
Por melhor treinado que o cão seja, um bom juiz de trabalho consegue detectar as fraquezas do cão em uma prova de seleção/adestramento/trabalho.
A parte de obediência é simples, basta que o cão se mostre tranqüilo e COM VONTADE DE TRABALHAR (o que pede o padrão oficial da raça). Na parte de proteção, também com exercícios básicos e objetivos, o cão deve apresentar determinação e coragem, preferencialmente com uma mordida forte e cheia/profunda, sem mastigação, sem rosnados ou choros, e também será avaliada a velocidade.
 
O que pede o padrão?
Intrepidez - analisada na mordida e velocidade com que o cão morde.
Autoconfiança e Coragem - analisadas na velocidade e determinação do cão na proteção.
Firmeza - analisada na qualidade da mordida e no comportamento do cão quando submetido à carga do figurante (jogo de vara).
Nas categorias mais altas de proteção (Schutzhund) também é analisado o latido do cão, que deve ser forte e constante. Latidos fracos, finos, roucos ou descontínuos são indicativos de problemas de insegurança ou falta de impulso - nesse momento o cão deve apresentar os dois impulsos, caça e agressão. Cães que não largam, demoram a largar ou beliscam a luva após o larga, demonstram insegurança, nervosismo - em alguns casos pode ser problema de treino. Cães que abandonam o figurante mostram falta de impulso, desinteresse pelo trabalho ou insegurança/nervosismo.
 
* Impulsos (drives): na proteção, o cão deve trabalhar em caça e em agressão, gerando um combate real. O impulso de caça dá segurança ao cão, velocidade, estabilidade emocional; a agressão gera uma combatividade maior e auxilia na mordida (cão que trabalha só em agressão entra em conflito e se torna inseguro - é a caça que sustenta o equilíbrio emocional).
Caça: instinto de perseguição a qualquer objeto que se mova, acompanhado de
uma mordida firme assim que abocanha a "presa" (objeto), possessividade (instinto de sobrevivência).
Agressão: combatividade, possessividade, instinto de defesa.
 
Indícios de fraquezas:
- Mordida fraca - falta de impulso / habilidade para o trabalho.
- Mastigação da luva (mordida sem constância, ficar remordendo) - denota insegurança, desequilíbrio emocional. Normalmente vem acompanhada de rosnado ou choro.
- Mordida não profunda (só com parte da boca ou incisivos) - insegurança, extremo nervosismo (neste caso normalmente o cão está prestes a correr/fugir).
- Rosnados/Choros - extrema agressão ou defesa, desequilíbrio emocional, falta de impulso de caça.
- Falta de velocidade - falta de impulso / habilidade para o trabalho e, às
vezes, problemas de conformação física.
- Esquivar do figurante - insegurança, medo, fraqueza psicológica.
 
Em qualquer raça é possível que o cão tenha uma mordida estável, sem mudar a boca de posição. A qualidade da mordida está intimamente ligada ao temperamento.
**Existem algumas teorias sobre a impossibilidade de algumas raças (incluindo o Dobermann) morderem de boca cheia e com estabilidade (sem mastigação) devido à sua anatomia, mas felizmente não é o que constatamos na prática e, coincidentemente, todos os cães com problemas para morder bem, mostram fraqueza de temperamento, e isso pode ser visto em todas as raças, mesmo aquelas que teoricamente conseguiriam morder bem pela conformação.
 
É importante observar que a prova é de proteção, ou seja, o cão deve ser equilibrado, não morder à toa. O cão deve morder apenas quando ordenado pelo seu condutor, ou quando agredido/ameaçado pelo figurante. O cão de guarda de verdade é tranqüilo e sociável, um cão de família, atento e pronto para defender seu dono.
O trabalho de proteção real é feito do mesmo modo que o esportivo (provas) ou para seleção.
Não se analisa simplesmente como ataque, pois cães mordedores ou agressivos são desequilibrados.
Testar o cão no local onde ele vive não é suficiente se estivermos falando em seleção, pois ele não tem como mostrar todas as características desejadas. Digo desejadas porque o padrão pede ADAPTABILIDADE E ATENÇÃO PARA SE AJUSTAR AO AMBIENTE SOCIAL, além de todas as outras características já citadas.
 
Logicamente a pessoa que quiser preparar um cão para seleção, provas mais avançadas ou proteção pessoal, precisa conhecer tudo isso, pois é básico.
 
Confesso que depois que comecei a treinar meus cães para Schutzhund, conheço-os muito melhor e aprendi a avaliar melhor cães adultos e filhotes.
É um aprendizado muito importante, e que hoje considero imprescindível para um criador de verdade, que preze bom temperamento.

Kathleen Schwab
phanomen@gmail.com


Este site foi criado e é atualizado por: / This website was created and is updated by: Kathleen Schwab
O uso de qualquer material contido neste site deve ser requerido e usado apenas se autorizado.
Canil Phanomen ©1997-2015 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS / ALL RIGHTS RESERVED